segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Dois

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Buscamos ao longo da vida, sermos bem sucedidos em alguma atividade, e encontrar alguém que nos complete e faça feliz, (não necessariamente nessa ordem); mas, nos valendo desse último argumento, muitas vezes jogamos sobre o outro a responsabilidade ou o dever de suprir nossas limitações e deficiências; e encaramos o pior tipo de solidão que se pode experimentar: A que se vive junto.

Lutamos a vida inteira, ou pelo menos parte dela, pra sermos independentes no sentino latu da palavra; entretanto, esse auto-governo invariavelmente não supre os desejos mais íntimos e a carencia afetivo-sensorial que trazemos de "série" encrostada no peito; e o problema maior é que essa luta demanda renúncia, e por vezes renunciamos a nós mesmos, aos nossos desejos, sonhos, emoções; e crescemos em tamanho, mas não em virtude; apenas inchamos...Não nos descobrimos nem nos afirmamos como "um", e ainda assim buscamos ser "dois".



Quantos relacionamentos se esvaziam, ou se deixam esvaziar pela rotina, inconstância, individualidade, e desconhecimento do outro e de nós mesmos??? Aferir com exatidão não dá; mas devemos admitir que na maioria das vezes imputamos a responsabilidade pelos problemas preliminarmente ao outro, e por último a nós mesmos; Quando o fazemos...


Descobri sofrendo que antes de querer alguém, de desejar , sonhar ou me ver ao lado de alguém, deveria encontrar a mim mesmo, me preparar pra assumir a responsabilidade de "invadir" a vida dessa pessoa sem ter que moldá-la às minhas vontades e caprichos, que além de respeitá-la, deveria antes de tudo me mostrar por inteiro, pra depois não ter que abrir mão do que sou pra me tornar o que ela gostaria que fosse. É mais ou menos por aí...





2 comentários:

Viva Alves

A vida é povoada de escolhas que fazemos ou somos levados a fazer e que estão dispostas durante a nossa caminhada. Até a solidão é consequencia dos caminhos que tomamos em nossa vida...

Independência Ronaldo é diferente de isolamento e solidão. Chega um momento em nossa vida que colocamos como prioridade em nossa vida a independência. O problema é que como bons seres humanos, às vezes, não sabemos dosar e acabamos nos focando tanto nisso que deixamos outras coisas importantes de lado. Sabemos que é importante.....

O preço pela independência não deve ser maior do que nos dispusemos a pagar e as renúncias que impliquem essa decisão, nisso se deve pensar... Nossa!! Isso é tão coerente - na prática??? Não vi uma pessoa que ponderasse antes de agir!



Na verdade o que há é essa dicotomia:



Independência X Individualidade (solidão)-A carência está implícita aqui.... e ela é como um fermento que faz a massa da nossa insegurança crescer.



Você toca no ponto dos relacionamentos e creio que o foco principal seria os relacionamentos afetivos (nós e a nossa necessidade de sermos amados - isso é normal). Você nem ninguém pode exigir que o outro mergulhe por completo no seu mundo e vice versa. Isso seria uma posse. Se relacionar com alguém é ver o outro como ele é e não como queremos que essa pessoa seja. Nos frustramos com a nossa [in]capacidade de lidar com isso, até porque isso é involuntário.... Não há culpados nisso!



Não queira alguém por capricho ou sem saber de fato quem você é!! Descobrir isso é uma questão particular, mas não significa que você tenha que se revestir da solidão. Uma outra coisa: por vezes, temos medo de nos mostrar como somos verdadeiramente, abrir a guarda para alguém é deveras complicado, como eu sei disso! Acaba o medo nos corroendo... qual será a reação que eu possa provocar nele ou nela.... olha.... não tenha medo disso até porque, quem sabe você não precise, nem deve fazê-lo, se tornar aquilo que ELA (seja a pessoa que for) quer que você seja.... talvez você já o seja e nem se deu conta disso.... Também não exiga o mesmo da outra pessoa, seria egoísmo....



Não tenho como saber o que se passa com você... sinceramente eu me preoculpo contigo.... se precisar de mim....precisar de um ombro... conta comigo.... não sei se poderei te ajudar, mas certamente eu poderei te ouvir....



Por ultimo: todos nós temos nossos monstros e nossas feridas não curadas e os nossos medos de aumentá-las e nos machucar ainda mais.... todos temos.......


Pra variar escrevi demais.... desculpa qualquer coisa....

Ex-Aspira.... rssss

Viva Alves

Eita q meu texto ficou maior que o teu... será??? Eu e meu bocão pra comentar demais... rsssssssss

 
◄Design by Pocket, BlogBulk Blogger Templates